A 16 de Fevereiro a Amnistia Internacional recebeu a triste notícia. Martin Grossman, de 45 anos, foi executado às 18h17, na Prisão do Estado da Florida, nos Estados Unidos da América.

Segundo vários meios de comunicação social e algumas testemunhas, antes da execução Martin Grossman disse as últimas palavras a que todos os condenados à morte nos Estados Unidos da América têm direito. Em jeito de declaração, disse: “Gostaria de apresentar o meu sincero remorso à família da vítima. Lamento profundamente tudo o que aconteceu naquela noite, tudo o que foi feito, quer me recorde ou não de tudo. Aceito a responsabilidade“. Em seguida proferiu orações em hebraico e a injecção letal foi-lhe aplicada, tendo Martin Grossman falecido 15 minutos depois do início da execução.

No Estado da Florida, Martin Grossman tornou-se a 69ª pessoa a ser executada desde 1979, quando a pena de morte foi reinstalada neste Estado. Foi ainda o quinto a ser executado sob as ordens do Governador Charlie Crist.

Agradecemos à quase uma centena de portugueses que intercederam em seu nome e apelamos a que não baixem os braços!